A taxa de conversão do seu site está baixa? Evite estes 6 erros!

Por Erik Willian

a-taxa-de-conversao-do-seu-site-esta-baixa-evite-estes-6-erros.jpeg

Em uma estratégia de marketing digital, ter um número interessante de visitas na página do negócio é um indicador de que se está seguindo um bom caminho. Durante essas visitas, várias pessoas têm contato com sua marca e com o que você oferece. Mas, apesar disso, uma baixa taxa de conversão do site pode impedir que ele seja uma ferramenta, de fato, útil para o faturamento da empresa.

No post de hoje, vamos abordar alguns pontos principais do CRO, o Conversion Rate Optimization, ou otimização da taxa de conversão. Considere como taxa de conversão a proporção entre o número de visitantes e o número de leads.

Tem interesse em saber como aumentar essa taxa? Evite os erros a seguir e terá um bom ponto de partida!

1. Não falar com as pessoas certas

Segmentação é um dos conceitos principais de uma estratégia de marketing. Ao definir o público-alvo de uma campanha, e até mesmo do negócio como um todo, você descobre como adequar seu produto a esse público, quais os melhores espaços de diálogo com ele, e como exercer esse diálogo.

Se você não tem um público-alvo bem definido, dificilmente terá visitas no site o suficiente para ter uma quantidade interessante de conversões. Isso porque, quando se tenta falar com um grupo muito diverso de pessoas, a comunicação perde a eficiência.

Pense em termos de marketing de conteúdo: para que seu conteúdo seja atraente, ele deve pretender resolver um problema específico, ou auxiliar na consecução de um objetivo determinado. Pensar em uma estratégia de marketing sem essa especificidade resulta em conteúdos menos atraentes, e a página não consegue se mostrar como autoridade no assunto.

Além disso, a ausência dessa delimitação não ajuda a gerar no usuário a confiança necessária para demonstrar interesse pela empresa e converter-se em um lead. Considere que você precisa oferecer algo útil a alguma dor específica do usuário para que ele demonstre seu interesse e forneça dados para a empresa — momento em que há a conversão.

2. Não ser persuasivo

Complementando o ponto anterior, é importante ressaltar que você deve oferecer algo que realmente interesse ao visitante para que a conversão ocorra.

Um exemplo mais básico disso envolve disponibilizar e-books bem aprofundados, tratando de problemas que a persona pode enfrentar. Também pode se oferecer a assinatura de uma newsletter com base em posts anteriores úteis, gerando a expectativa no usuário de que ele receberá, por e-mail, outros textos igualmente úteis no futuro.

Aprofundando um pouco mais na questão da persuasão, você pode apelar de modo mais sutil ao emocional de seu visitante. Você pode criar um formulário na página para possibilitar o download de um e-book cujo título é “15 meios infalíveis de conquistar o objetivo X”, e apresentar as opções “sim, eu quero baixar o e-book” e “não, eu já conquistei o objetivo X” ou “não, eu não quero conquistar o objetivo X”, por exemplo.

Fazendo um estudo suficientemente minucioso de sua persona, você conseguirá publicar um conteúdo cada vez mais adequado a seus objetivos específicos. Isso aumenta o peso emocional de clicar na opção “não” e atrai mais a atenção dos visitantes a interagirem com a página.

3. Descuidar da experiência do usuário

A experiência do usuário ganhou novos ares em tempos de marketing digital. Antigamente, ela costumava compreender a usabilidade do produto que a empresa oferecia, sua apresentação e seus canais de comunicação, principalmente.

Atualmente, a experiência do usuário ficou mais abrangente, considerando o poder de um site bem desenhado como meio de atrair visitantes, mantê-los e estimulá-los a se interessarem pelo negócio. Sites bem diagramados, com informações distribuídas de um jeito simples e que tornem a navegação intuitiva são mais eficientes para manter os visitantes.

Um site de uma empresa deve ter um design limpo, para possibilitar um tempo de carregamento menor e uma melhor organização de informações. O destaque de informações mais relevantes e acessibilidade a páginas de interesse ao usuário são imprescindíveis. Nesse caso, dê destaque aos formulários e promova os materiais ricos em locais importantes do site, como na página inicial ou no meio de conteúdos relacionados.

4. Não dar atenção às landing pages

Falando em landing pages, tenha consciência da necessidade de ter boas páginas para impactar sua taxa de conversão. Uma landing page deve ser instigante e facilitar que o usuário receba aquilo que foi prometido com o mínimo de esforço. A troca deve parecer injusta: em troca de poucas informações, o usuário ganha acesso a um material que vai auxiliá-lo bastante.

Além disso, crie uma página atraente e impactante. Resuma ao máximo a proposta em um headline: “não perca mais nenhum texto”, “veja como aumentar seu faturamento”, “pareça mais interessante para o mercado”. Utilize poucas palavras e um bom design para chamar atenção.

5. Não aprender com as métricas

O marketing digital facilita a mensuração dos pontos de interesse da estratégia, fornecendo dados relevantes com rapidez e credibilidade. Portanto, saiba usar esses dados e adaptar sua estratégia de modo ágil para maximizar seu alcance. Afinal, as métricas estão lá, justamente, para fornecer aprendizado rápido.

Um meio interessante de aprender com métricas é realizando testes A/B. Há ferramentas específicas que operacionalizam esse tipo de teste, e ele funciona de modo interessante: você desenvolve duas páginas com elementos semelhantes, mas mudanças sutis, e as disponibiliza para visitantes aleatórios. O desempenho de cada uma é medido e, então, é possível ver a que gera melhores resultados.

6. Fazer formulários que não chamam a atenção

A eficiência de formulários são uma questão tanto de web design quanto de psicologia. Ao mesmo tempo em que saber onde posicioná-lo na página e elaborar o melhor layout tem sua importância, saber as melhores palavras e cores nela, por exemplo, também ajuda nas conversões.

Agências de marketing possuem experiência na elaboração de formulários e já conduziram uma diversidade de testes para saber o que funciona. Elas poderão usar pontos de partida eficientes e desenvolver a ferramenta a partir deles.

Uma agência de marketing é a principal aliada para resolver a baixa taxa de conversão do site de sua empresa. Profissionais da área possuem o conhecimento necessário de web design para criar páginas que possibilitem boas experiências de usuário, além das melhores práticas para se comunicar com seu público-alvo. Portanto, procure profissionais e veja a repercussão em seu faturamento!

O que achou de nosso texto? Esperamos que tenha aprendido um pouco mais sobre como dar aquela impulsionada nas conversões de seu site. Agora, aproveite que está aqui e não deixe de conferir nosso post que te ensina a fazer um planejamento de marketing completo!

Erik Willian

Fundou a Digital Pixel em 2010, nascido em Belo Horizonte / MG, é experiente tanto na área de desenvolvimento como nas atividades de planejamento, atendimento. Atualmente é o responsável, na Digital Pixel pelo setor comercial e planejamento. Trabalhando com prospecção e adquisição de novas parcerias/clientes para a empresa. Participa ativamente dos projetos da empresa, e esteve presente desde a pré-contratação à entrega em mais de 1000 projetos web de diversos seguimentos.

Comentários

Ainda não recebemos comentários. Seja o primeiro a deixar sua opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Comente com o Facebook

Av. do Contorno - n°3979 sala 1004
Santa Efigênia - Belo Horizonte - MG
30110-021

(31) 3384-8620

contato@digitalpixel.com.br

Voltar Para o Site